Apoios:

transferir.jpg
43820694_248713309155880_504789902890631
IMG_20181214_181655.jpg
logo_400x400.png
logo.jpg
Imagem3.jpg
ebeb.JPG
Capturar.JPG
images.png
Imagem1.jpg
ABC SAUDE_logo novo.jpg
49459897_2184913991533531_30740439092030
  • White Facebook Icon

 Cronica de Março  do Projeto Costapé2019.

images.jpg

23.06.2019 COSTAPE:

 Etapa 8a

Meco - Sesimbra 30 kms

Etapa 8b -  Meco - Sesimbra  30k

 

Combinara no dia anterior encontrar-me com dois amigos, o Messias e a Graça, ela vinda de Leiria. Tinha tudo para ser uma etapa lindíssima, não fosse o tempo pregar-nos uma grande partida. Manhã nublada, com um pouco de vento, fico cético enquanto os espero. O Messias deixara o carro em Sesimbra e vêm os dois no da Graça. Bebemos um café no parque e iniciamos o percurso. Está desagradável para um dia de verão – possivelmente, o pior dia de toda a viagem.

A visibilidade é de aproximadamente um quilómetro, o que põe em causa o plano de vermos a orla costeira e as belas praias. Sinto que deve ser uma desilusão para os meus companheiros que vieram de longe para ver algo diferente. O trilho é muito bonito, sempre à beira das falésias, às vezes até demais… falta o azul do céu e a luz do Sol.

Procuramos sempre a referência do cabo Espichel, mas o nevoeiro torna-se cada vez mais cerrado. Muitos trilhos cruzados, a exigir mais orientação e cuidado para evitar o excesso de fadiga. Mesmo assim, é subir e descer sempre com muito cuidado. Por vezes lá se vê uma autocaravana ou alguém a caminhar. Com o passar das horas, o tempo vai-se agravando. Além do nevoeiro, começa uma chuva miudinha tocada a vento, muito incomodativa.

Sempre cheia de energia, para a Graça é tudo a direito. Quando eu chego ao topo, já ela esté no outro. Sentimento de liberdade. O Messias, com as calças a pesarem devido a chuva, acompanha-me. Não está nada fácil. Sinto a água da chuva a entrar no corpo. Efeito da humidade e da chuva, o telemóvel também se apaga. Um desespero.

Finalmente, o Cabo Espichel, mais especificamente a zona do convento onde existe um bar. Entramos todos ensopados para comer qualquer coisa e beber algo mais quente. Dia de inverno. Ponderamos se vale a pena continuar. Chove há 3 horas. A lama torna os passos mais pesados e faz-nos escorregar com muita facilidade. Para agravar, não tenho o telemóvel para me orientar. A visibilidade é muito reduzida, poucas centenas de metros, e não dápara fazer uma progressão à vista.

Não é impossível, mas é muito arriscado irmos mais junto à costa, até porque as pedras estão muito escorregadias. Fazemos três quilómetros, para termos uma noção melhor, mas confirma-se que estáimpossível. Quem diria, depois do dia de ontem? A decisão, unâmine, é sairmos da zona de terra e seguirmos pela estrada até à Azóia. Aí veríamos se o estado do tempo tinha melhorado.

É sempre um perigo circular nas estradas sem passeios e com as bermas todas irregulares. Qequer o dobro da atenção. Vamos em fila indiana. A chuva não abranda e torna a caminhada penosa. O Manuel Messias vai tentando ver no telemóvel dele uma variante que nos aproxime da pedreira.

A Graça está cheia de frio nas mãos, por causa da aragem fresca. Molhados, o melhor é nem pararmos mesmo. O nevoeiro levanta um pouco, mas a chuva cai miudinha. Vê-se bem a estrada e começamos a orientar-nos em direção ao mar. Descemos até à pedreira por um estradão de terra e avistamos por onde ali chegaríamos se tivéssemos ido pela Praia da Ribeira do Cavalo. Fica para uma próxima, temos de respeitar o nosso “bip de segurança”.

Descemos molhados e cheios de lama nos pés e nas pernas. Para a Graça, acredito que acabou por ficar à quem das expetativas. Mas foi uma aventura. Pessoalmente, não quero ficar com aquele sentimento de que “há dias que não devíamos sair de casa”. Prefiro pensar que foi mais uma etapa com dois companheiros que estiveram ao meu lado, num dia atípico e molhado. O Messias foi uma mais-valia ao encurtar o caminho para Sesimbra.

De Sesimbra, seguimos no carro dele para o Campimeco, onde estava o da Graça. Cheguei a casa molhado, mas feliz, num dia de verão triste e cinzento. Obrigado aos dois pela disponibilidade e companhia em condições adversas.

 

Despesas: Transporte - €20; Refeições: €7

PPimenta

Video:

Trak:

Participantes:

Pimenta

Galeria 8B

Grande Caminhada de 1.200 kms pela costa Portuguesa

com cheiro a mar!...

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now